Geral

Filhos de crescimento com madrasta pai

Filhos de crescimento com madrasta pai



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Não se deve esquecer que não é fácil separar a criança dos pais, e deve-se tentar a empatia com a criança. Como a razão do humor da criança é o estresse que ela experimentou até o primeiro momento, a madrasta ou o pai não devem personalizá-lo ou mostrar suscetibilidade. Deve-se lembrar que a criança precisará de um certo tempo para se acostumar com o meio ambiente e com outras pessoas em casa. Defeitos comportamentais, sintomas de ansiedade e depressão da criança devem ser entendidos e apoio profissional deve ser obtido, se necessário.
Que preocupações a criança tem nesse processo?Passar de uma ordem familiar para um novo ambiente pode criar tensão na criança. A criança, cuja confiança é prejudicada pela separação de seus pais, pode ficar preocupada e chateada ao pensar em como seus pais viverão daqui para frente, onde permanecerá, se haverá perdas significativas em sua vida e onde conhecerá a nova pessoa (madrasta / pai).
O que preocupa os pais que enviam seus filhos aos pais adotivos?Nesse processo difícil, assim como as crianças, os pais que enviarão seus filhos para promover os membros da família podem ter algumas preocupações. Os pais podem sentir ansiedade por causa de seus pensamentos de que seus filhos serão desapegados / desapegados deles, que seus filhos desenvolverão mudanças de humor e comportamentais e que seus filhos serão maltratados.
Como a situação da criança que vive no outro lar pode ser aprendida sem refletir as preocupações sobre ela?As crianças tendem a mostrar a negatividade que experimentaram. Também se pode dizer que esta situação parece que eu tenho que frear. De fato, a palavra todas as notícias da criança ”é uma promessa que apóia essa situação. Se a criança desenvolver deficiências comportamentais ou mudanças de emoções contrárias às expectativas, deve-se tomar cuidado. No entanto, é a atitude mais saudável não recorrer a essa pesquisa, considerando que a criança está inquieta e aprenderá comportamentos errados com seus pais. O melhor é que ambos os pais (mesmo que separados) ajam em conjunto para determinar atitudes em relação à criança.
O que o pai / mãe da criança deve preencher a criança contra o pai adotivo e a outra parte sente?É importante não agir sem certas informações sobre esse assunto e não fazer essa luta pela criança. Caso tal coisa seja detectada, os pais devem se posicionar de acordo com a psicologia da criança. Em vez de responder às informações recebidas da criança, uma entrevista com os outros pais deve ser planejada e a criança deve receber uma explicação conjunta.
Se a criança estiver sendo procurada e controlada por sua própria família a cada hora, enquanto estiver no padrasto e a outra parte estiver desconfortável, que tipo de solução deve ser seguida?O interlocutor deve ser informado de que esse controle pode levar à insegurança da criança, que as preocupações com a criança são entendidas, que não há motivo para causar essas preocupações e que um acordo deve ser feito com base na confiança para o desenvolvimento saudável da criança. As formas de alcançar a criança não devem ser obstruídas e a luta não deve ser conduzida contra a criança (se houver).
Se o padrasto, que geralmente tem uma percepção negativa na comunidade, tem essa percepção aos olhos da criança, que tipo de atitude o padrasto deve seguir?Eles devem tentar entender os pensamentos da criança. Deve-se afirmar com precisão que, mesmo que seus pais saiam, ela não pode / não pode substituí-los. Deve-se lembrar que a criança pode não ser a causa da percepção negativa da criança e que ela pode estar experimentando esses sentimentos após a separação e a perda. A criança deve ter tempo para se adaptar ao período pós-divórcio.
O que a família deve fazer se a criança não permitir que o padrasto cuide dele?O processo pode fornecer pistas. Se é como a continuação de uma situação que começa antes do divórcio; culpa, perda de autoconfiança, depressão; Se ocorrer após o divórcio e após o padrasto / mãe-pai, os problemas com a aproximação da criança e a explicação do processo devem ser considerados primeiro.
Que tipo de psicologia isso cria para a criança se os dois lados querem falar sobre a criança e tentar aprender o que aconteceu?Para o desenvolvimento saudável da criança, a consistência dos pais é muito importante. Para fins de informação, quando a criança é apresentada, ela pode reconhecer a luta e usá-la para seus próprios interesses. Se essa situação persistir, aumenta a probabilidade de ser um indivíduo que consegue o que deseja e que tem o problema de obedecer às regras sociais.


Vídeo: Desde o pai que enterrou o filhoaté a gravidez maligna e o Kimbandeiro! (Agosto 2022).

Video, Sitemap-Video, Sitemap-Videos